sexta-feira, 19 de março de 2010

Arnaldo Jabor fala sobre a questão dos royalties.

Para complementar o post anterior, fiquem com este vídeo onde Arnaldo Jabor brilhantemente discorre sobre a situação dos royalties, emenda Ibsen e a tentativa de acabar com o nosos Estado.



"A passeata no Rio vai além da luta pelos royalties do petróleo. Foi uma reação da cidade desfigurada há décadas. O poder central ignora o Rio como se fosse uma bela lembrança do passado. O Estado também sofre com esta ameaça, mas me detenho no Rio. Não é mais possível suportarmos esta morte progressiva.

Primeiro foi a mudança da capital por um delírio onipotente de JK, que criou a ilha da fantasia corrupta e cercada de miséria, que já nos custou trilhões. Depois o Geisel acabou com o estado da Guanabara com um peteleco.

Eu sou carioca e vi a cidade e o estado dominados pela cáfila mais incompetente de governadores e prefeitos da história. Eu vi a violência ocupando os morros, eu vi as indústrias fugindo, eu vi o progressivo desalento de uma cidade sem economia, virando um mercado persa de camelôs ou uma praça de guerra miserável.

Até que aconteceu a escolha das Olimpíadas e voltou a esperança! O Rio ganhou um projeto. Aí, vem a emenda do Ibsen que simplesmente extingue nosso futuro. Se esta emenda passar no Senado é melhor cancelarmos as Olimpíadas.

A passeata tem de continuar como um movimento constante da consciência carioca. O poder canta em Brasília: “cidade maravilhosa” ou “Rio de Janeiro, gosto de você”. Aqui ó!"

Nenhum comentário: