sábado, 15 de agosto de 2009

Especulação Imobiliária agora quer avançar sobre Áreas de Proteção Ambiental! Marapendi e Grumari em perigo!

Mais um descalabro da prefeitura de Eduardo Paes: está sendo estudada uma mudança na legislação atual para permitir a construção de pelo menos 11 "eco resorts" em nas Áreas de Proteção Ambiental (APA) de Marapendi e Grumari. Quem faz a denúncia é o jornal Estado de São Paulo. Segundo matéria do jornal, o pretexto para a mudança na legislação é a necessidade de quartos de hotel para a Copa de 2014 e a possível Olimpíada de 2016.

Criada em 1992, a APA de Marapendi abrange, além da lagoa e o canal de Marapendi, a faixa de areia entra a lagoa e o oceano e as áreas de entorno, e tem uma extensão de mais de 9.700 km². É um dos últimos fragmentos de mata de restinga nativa, e um refúgio para uma quantidade enorme de espécies vegetais e animais da região. A criação das APA de Marapendi e Grumari tiveram, na época, o apoio e pressão de grupos ambientalistas.

Agora, o prefeito Eduardo Paes e seu secretário de urbanismo, Sérgio Dias, querem permitir construções nesse local. Como a região é privada e dividida em lotes, eles seriam vendidos separadamente, e cada resort construiria 200 suítes. Diz o secretário de urbanismo: "Trata-se de uma área controlada que merece todo o cuidado, mas temos de levar algum tipo de situação econômica para dar sustentabilidade, senão o proprietário abandona". Secretário, não seja por isso, eis a solução: Transforme em parque! Já que agora existe essa tal "integração entre os três níveis de governo", tenho certeza que a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, e o ministro Minc do Meio Ambiente iriam adorar cooperar para preservar e manter intacta essa e outras importantes áreas verdes do Rio de Janeiro.

O vereador Alfredo Sirkis, do PV, autor da lei que criou a APA de Marapendi, diz que a legislação atual já permite inclusive a construção dos tais "eco resorts", mas afirma que esse tipo de projeto não é de porte suficiente para atender a demanda de uma Copa ou Olimpíada. Sirkis diz que se o objetivo for realmente viabilizar economicamente a construção e os limites de preservação forem respeitados, não há problema. No entanto, afirma: "Desconfio que não seja só isso". Eu também desconfio. Se a legislação atual já permite o tipo de construção que eles afirmam querer atrair, por que então dizer que estudam mudança na legislação? Muito estranho..

Para o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Rio de Janeiro (Crea-RJ), há alternativas mais inteligentes para hospedagem. Segundo o coordenador da Câmara de Arquitetura e Urbanismo e integrante da Comissão de Meio Ambiente do Crea-RJ, Paulo Oscar Saad, "se a Prefeitura fosse inteligente, mobilizaria a cidade para um grande esforço de cama e café, porque haverá muitos turistas interessados em conhecer as famílias, a cultura. Seria melhor do que comprometer a reserva", e faz o alerta: "A Copa vai ser utilizada como pretexto para várias barbaridades".

Moradores e especialistas que acompanham a situação da APA afirmam que não há fiscalização, há despejo de esgoto, incêndios no verão e proliferação de espécies exóticas que expulsam a vegetação nativa de restinga. O biólogo Mário Moscatelli afirma que o mesmo problema acontece em Grumari, que estaria virando um grande bananal.

Duvido muito que as autoridades responsáveis pela escolha da cidade sede das Olimpíadas de 2016 veriam com bons olhos uma grande área verde sendo colocada em perigo com pretexto de atingir demanda por quartos. E espero que os moradores próximos à APA, ecologistas, ambientalistas e cidadãos conscientes protestem e lutem contra o avanço dos interesses excusos do governo municipal e de Eduardo Paes sobre as áreas de proteção ambiental.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Veja como Collor e Lulla mudaram de idéia em relação aos Sarney!

Todos que vem acompanhando a crise no Senado sabem do apoio descarado de Lula ao até agora presidente da Casa, José Sarney. O Presidente da República se rasga em elogios, defende a permanência de Sarney no cargo, desautoriza petistas contrários e chegou a afirmar que José Sarney "não é uma pessoa comum".

Todos também viram o bate boca entre os senadores Pedro Simon (que pedia a renúncia de Sarney), Fernando Collor de Mello e Renan Calheiros (que defendiam o presidente do Senado). Essa dupla, Collor e Renan, vem agindo intensamente nos bastidores e no Plenário para proteger e assegurar a permanência do maranhense no cargo.

Mas nem sempre foi assim. Tanto Lula quanto Collor já foram críticos ácidos de Sarney no passado, faziam ataques pessoais e não davam nenhuma margem para que qualquer um imaginasse o cenário atual. Vejam alguns vídeos que mostram a opinião dos dois há 20 anos:




Seria engraçado, se não fosse trágico. Dois homem públicos, um ex-presidente e o atual presidente, não honram sua palavra. Não tem nenhuma ética, moral ou coerência. Os dois, inclusive, eram ferrenhos adversários. Hoje em dia...

Poderia mostrar inúmeros vídeos onde Lula e Collor se atacam ferozmente, mas o foco aqui é a união deles para salvar Sarney. É absurdo, é imoral! Quem muda de opinião dessa forma, de acordo com a conveniência, não tem caráter, não merece respeito, muito menos deveria ocupar um cargo público, quiçá o mais alto posto da Nação.

No Twitter, disse Millôr Fernandes:
No Congresso Nacional, uma mão suja a outra.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

100 Anos de Burle Marx

Há 100 anos atrás, nasceu um dos maiores paisagistas do mundo, Roberto Burle Marx. O artista, que usava as plantas como se fossem tinta para pintar seus quadros, deixou várias obras em nossa cidade, e com certeza é um dos responsáveis por ela ser chamada Maravilhosa.

Fica a homenagem do blog a esse grande artista, que tanto embelezou do Rio de Janeiro.