quarta-feira, 29 de julho de 2009

Revelações de Eduardo Paes!

É impressionante notar a franqueza ou a falta de noção do que se fala do prefeito Eduardo Paes. Em uma entrevista para o caderno Megazine, do jornal O Globo, que é editado por um grupo de jovens, Paes fez algumas revelações sobre como realmente vê e pensa as coisas.

Falando sobre seu Twitter, foi perguntado ao prefeito se essa ferramenta seria um meio de atingir e conquistar o público jovem, que não esteve ao lado dele durante a campanha e, logo após as eleições, organizou o Movimento Pró-Democracia, que pedia julgamento de diversas irregularidades cometidas durante a campanha. Paes simplesmente diz que não está tentando buscar o público jovem, diz que "Quanto à campanha, quem votou votou, e quem não votou não votou... Mas acabou, eu ganhei e abraço para quem perdeu". Ou seja, que se dane quem é contra, quem é favor, agora já era, ele já conseguiu o que queria, ganhou a eleição, tá feito e vamos ter que engoli-lo! Uma pena que o prefeito pense assim. Também é uma pena não termos uma Justiça Eleitoral séria, que não o puniu pelos panfletos apócrifos caluniando o adversário, pela compra de votos por merenda, pelas faixas espalhadas pela zona Norte denegrindo o adversário... Se tivesse sido punido, duvido que ia falar assim do povo, ainda mais dos jovens.

Eduardo Paes também foi perguntado sobre o poder que as empresas de ônibus exercem. Acusou o ex-prefeito de estar de conluio com essas empresas, mas disse que a força dessas empresas vai diminuir. Na verdade, a Prefeitura não tem nem idéia de quantas linhas de ônibus circulam no Rio. Nem de quantas pessoas transportam. Esses números só devem estar disponíveis daqui a um ano. Até lá, nada de licitação, ordenamento, bilhete único... Falar é fácil, prefeito!

Durante a campanha, quando foi perguntado se já havia usado drogas, Paes confessou ter fumado maconha. O falatório foi tão grande que tentaram ao máximo abafar isso, o então candidato não voltou mais a tocar no assunto até o fim das eleições e vinha mantendo discrição sobre o tema. Pois bem, na entrevista ao Megazine, Paes reafirma que fumou maconha, e categoricamente diz que não se arrepende! Prefeito, não se arrepende mesmo tendo sido cúmplice de traficantes, ao comprar drogas da mão deles? Se não se arrepende de ter fumado maconha, por que os panfletos apócrifos chamavam Gabeira de maconheiro, entre outras coisas?

Falando sobre a perda da ideologia dos partidos e de fidelidade partidária, Eduardo Paes ao menos foi consiente de admitir que ele "não é bom pra falar sobre isso". Realmente, depois de trocar ao menos 5 vezes de partido, de passar de fiel escudeiro do Cesar Maia para adversário e crítico político, de fazer oposição feroz ao Governo Lula e agora ser grande aliado, não há ideologia ou fidelidade que resista. Paes rebate dizendo que mudou muito de partido "seguindo Cesar Maia", que era então seu mentor, e depois foi para o PSDB, o qual trocou pelo PMDB pra se eleger prefeito. E diz que não voltou atrás quanto as críticas ao filho do Lula durante a CPI dos Correios, mas diz que errou ao atacar alguém só por ser filho do presidente. Mais uma vez, que pena. Paes, você não errou lá, estava certo, Lula e seu filho estavam sim envolvidos em maracutaias, e naquele momento sua atuação foi exemplar. Uma pena também que tenha deixado de seguir Cesar Maia, deveria ter continuado com ele, ou até mesmo no PSDB, e seguido uma ideologia concisa e ética, e hoje com certeza seria um importante quadro político no Rio. Ao invés disso, preferiu se embrenhar pelo fisiologismo e ganância de poder do PMDB.

Para terminar, perguntaram se o prefeito matricularia seus filhos na rede municipal de ensino. Paes diz que sim, e afirma que "a rede municipal de ensino não é ruim". Realmente, prefeito! Você está certo, a rede municipal do Rio, além de ser a maior do país, é de ótima qualidade. Esse nível foi alcançado após anos de trabalho duro do governo anterior, capitaneados pela ex-secretária Sônia Mograb. Fica a pergunta: Se o ensino "não é ruim", então porque tantas críticas durante a campanha? Porque acabar com o sistema de ciclos com progressão continuada? Porque trazer uma paulista para a pasta da Educação, que nem pedagoga é, que não conhece a fundo a realidade do sistema, nem a parte técnico-admnistrativa da Secretaria Municipal de Educação? Vale lembrar que em um post anterior mostramos que Paes confessou que Cesar Maia "deixou todas as escolas públicas um brinco", mas ele "não pode elogiar em público". Tudo bem prefeito. Se é pra ser sincero, a gente passa a mensagem.

Nenhum comentário: