segunda-feira, 6 de julho de 2009

Cidade da Música: O que foi dito, o que não foi dito, e a verdade!

O prefeito Eduardo Paes, em entrevista recente ao jornal O Globo, disse que pretende retomar as obras da Cidade da Música em agosto, e falou que a gestão do local deverá ser compartilhada entre a iniciativa privada e a Prefeitura. No entanto, Paes disse que não tem previsão de quanto será gasto para finalizar a obra, nem de quanto tempo levará para que isso aconteça, já que a auditoria ainda não foi concluída. Que engraçado! Há alguns meses atrás, foi anunciado que seriam necessários mais 145 milhões de reais e mais um ano de obras! Isso só com uma auditoria preliminar. Agora voltaram atrás?

Na execução de uma obra, quem pede aditivos para construção são as empreiteiras, que por gerir toda a obra sabem dos gastos e dos custos necessários, mas nesse caso era o próprio contratante que, sem consultar as empreiteiras envolvidas, dizia quando seria gasto a mais e em quanto tempo! Era própria a Prefeitura, sem saber das contas do Consórcio Construtor Cidade da Música, dizendo que precisaria investir 65 milhões de reais a mais do que já havia sido licitado para acabar a obra. Depois disso, imagina se alguma empreiteira iria reclamar ou dizer que não precisa! Eduardo Paes e sua equipe realmente não são bons de conta...

Pelo menos agora, nas declarações feitas à imprensa, Paes voltou atrás e diz que não pode afirmar esses números ainda, mas ainda assim disse algo estranho: Que só iria finalizar a Grande Sala e a parte de Administração do complexo, num primeiro momento. Não há razão para isso! A obra já está toda licitada e as empresas devidamente contratadas! A gestão anterior deixou uma conta com 85 milhões de reais, que já estavam empenhados em orçamento, para custear o fim das obras. A atual gestão de Eduardo Paes sumiu com esse dinheiro.

A Grande Sala já está praticamente pronta, já tendo sido inaugurada, inclusive. Este que vos escreve visitou as obras da Cidade da Música em Novembro do ano passado, e averiguou que as salas da Administração também já estavam em estágio avançado. Os jardins externos estavam sendo cultivados em ritmo acelerado, e no dia da minha visita os lagos estavam recebendo uma camada de impermeabilizante. Ficariam faltando a Sala de música de câmara, que não pude visitar, e os cinemas, que seriam entregues "crus" para a empresa que fosse explorar o espaço pudesse decorar e usar mobiliário e maquinário de sua preferência.

Hoje, aquela obra magnífica está lá, parada, com os materiais que já foram todos comprados estragando por falta de uso, manutenção ou instalação. Em 6 meses de obras paradas, o que seria suficiente para finalizar o complexo, já é possível começar a ver sinais de deterioração. Foram gastos 439 milhões, que apesar de tão criticados, estão sendo disperdiçados e negligenciados, já que não se faz uso nenhum daquele espaço. A Orquestra Sinfônica Brasileira continua sem uma casa e sem espaços dignos para ensaio e apresentação.

Foram encontrados até focos de mosquito da Dengue no local. E o atual prefeito fazendo de tudo pra conseguir movimentar mais dinheiro em cima dessa obra e conseguir vincular seu nome a esse projeto. Aposto com vocês que Eduardo Paes fará uma grande festa de (re)inauguração da Cidade da Música, com direito a fotos sorridentes e placa com os nomes dele e do Cabral. Quem viver, verá.


ps. Para aqueles que consideram o valor da construção da Cidade da Música, quase 500 milhões de reais, absurdamente elevado, gostaria de ressaltar que projetos similares e até inferiores ao redor do mundo custaram muito mais caro, e nem por isso deixaram de ser feitos, devido a grande necessidade e importância desse tipo de equipamento. E para efeito de comparação com outras obras de grande importância para a nossa cidade, vou citar alguns números:

Total que será gasto para reforma do Maracanã, incluindo PAN 2007 e Copa do Mundo de 2014: 730 milhões de reais! Esse valor é só o de reformas, sem nenhuma estrutura nova a ser construída. Quase 50% a mais que o total necessário para erguer a Cidade da Musica.

Total previsto para demolição de parte do Elevado da Perimetral, no Porto do Rio, propostro pela atual gestão da Prefeitura: 1,5 BILHÃO de reais! São 3 vezes o valor da Cidade da Música!

Aí ninguém reclama..

Nenhum comentário: