quarta-feira, 29 de julho de 2009

Governo de Sérgio Cabral gasta mais com publicidade do que com áreas de Saúde e Segurança Pública!

Importante denúncia feita no O Globo de hoje, ressaltada pelo blog do Ricardo Gama. O título da reportagem já é preocupante: "Estado poderá não arrecadar R$ 3 bilhões". Isso pode acontecer por causa da receita vinda royaltes do petróleo, que até agora só atingiu 33% do esperado para o ano. Se o Governo do Estado, sabendo da crise internacional, não se precaveu, a culpa é de quem toma as decisões.

Mas o mais grave veio no final da reportagem: o percentual gasto até agora dentro do planejado em algumas áreas. Na Segurança Pública, dos gastos previstos em "Formação de Recursos Humanos", em seis meses só foram gastos 5,8% do previsto para o ano todo! Na função "Informação e Inteligência", algo de vital importância no trabalho da polícia, acredito eu, só foram gastos 0,31%! Menos de 1% do planejado para 12 meses!

Na saúde não poderia ser diferente. Em "Atenção Básica", foram empregados R$ 2,2 milhões dos R$ 44,1 milhões previstos, ou seja, 5,07%. Sendo que no planejamento, o orçamento desse item já havia sido cortado em R$ 18 milhões. Em toda área de saneamento, o gasto até então foi de 1,2% do previsto para o ano.

Agora, caros leitores, pasmem: os gastos com Publicidade do Governo do Estado do Rio já atingem 60% do planejado! R$ 39,6 milhões já foram gastos, dos R$ 66,9 milhões previstos! É um absurdo! O governador Sérgio Cabral prefere gastar com propaganda do que com saúde para a população, com inteligência pra polícia, ou com saneamento para o povo!

ps. Enquanto a Nova Gripe se espalhava cada vez mais no Rio e saía do controle, Cabral estava na Disney, de férias, quase o mês de julho todo. O Secretário de Saúde Sérgio Côrtes também não deu as caras, devia estar viajando também. Agora que tudo está virando um caos eles aparecem, pra falar com a imprensa! Agora é tarde, governador!

Revelações de Eduardo Paes!

É impressionante notar a franqueza ou a falta de noção do que se fala do prefeito Eduardo Paes. Em uma entrevista para o caderno Megazine, do jornal O Globo, que é editado por um grupo de jovens, Paes fez algumas revelações sobre como realmente vê e pensa as coisas.

Falando sobre seu Twitter, foi perguntado ao prefeito se essa ferramenta seria um meio de atingir e conquistar o público jovem, que não esteve ao lado dele durante a campanha e, logo após as eleições, organizou o Movimento Pró-Democracia, que pedia julgamento de diversas irregularidades cometidas durante a campanha. Paes simplesmente diz que não está tentando buscar o público jovem, diz que "Quanto à campanha, quem votou votou, e quem não votou não votou... Mas acabou, eu ganhei e abraço para quem perdeu". Ou seja, que se dane quem é contra, quem é favor, agora já era, ele já conseguiu o que queria, ganhou a eleição, tá feito e vamos ter que engoli-lo! Uma pena que o prefeito pense assim. Também é uma pena não termos uma Justiça Eleitoral séria, que não o puniu pelos panfletos apócrifos caluniando o adversário, pela compra de votos por merenda, pelas faixas espalhadas pela zona Norte denegrindo o adversário... Se tivesse sido punido, duvido que ia falar assim do povo, ainda mais dos jovens.

Eduardo Paes também foi perguntado sobre o poder que as empresas de ônibus exercem. Acusou o ex-prefeito de estar de conluio com essas empresas, mas disse que a força dessas empresas vai diminuir. Na verdade, a Prefeitura não tem nem idéia de quantas linhas de ônibus circulam no Rio. Nem de quantas pessoas transportam. Esses números só devem estar disponíveis daqui a um ano. Até lá, nada de licitação, ordenamento, bilhete único... Falar é fácil, prefeito!

Durante a campanha, quando foi perguntado se já havia usado drogas, Paes confessou ter fumado maconha. O falatório foi tão grande que tentaram ao máximo abafar isso, o então candidato não voltou mais a tocar no assunto até o fim das eleições e vinha mantendo discrição sobre o tema. Pois bem, na entrevista ao Megazine, Paes reafirma que fumou maconha, e categoricamente diz que não se arrepende! Prefeito, não se arrepende mesmo tendo sido cúmplice de traficantes, ao comprar drogas da mão deles? Se não se arrepende de ter fumado maconha, por que os panfletos apócrifos chamavam Gabeira de maconheiro, entre outras coisas?

Falando sobre a perda da ideologia dos partidos e de fidelidade partidária, Eduardo Paes ao menos foi consiente de admitir que ele "não é bom pra falar sobre isso". Realmente, depois de trocar ao menos 5 vezes de partido, de passar de fiel escudeiro do Cesar Maia para adversário e crítico político, de fazer oposição feroz ao Governo Lula e agora ser grande aliado, não há ideologia ou fidelidade que resista. Paes rebate dizendo que mudou muito de partido "seguindo Cesar Maia", que era então seu mentor, e depois foi para o PSDB, o qual trocou pelo PMDB pra se eleger prefeito. E diz que não voltou atrás quanto as críticas ao filho do Lula durante a CPI dos Correios, mas diz que errou ao atacar alguém só por ser filho do presidente. Mais uma vez, que pena. Paes, você não errou lá, estava certo, Lula e seu filho estavam sim envolvidos em maracutaias, e naquele momento sua atuação foi exemplar. Uma pena também que tenha deixado de seguir Cesar Maia, deveria ter continuado com ele, ou até mesmo no PSDB, e seguido uma ideologia concisa e ética, e hoje com certeza seria um importante quadro político no Rio. Ao invés disso, preferiu se embrenhar pelo fisiologismo e ganância de poder do PMDB.

Para terminar, perguntaram se o prefeito matricularia seus filhos na rede municipal de ensino. Paes diz que sim, e afirma que "a rede municipal de ensino não é ruim". Realmente, prefeito! Você está certo, a rede municipal do Rio, além de ser a maior do país, é de ótima qualidade. Esse nível foi alcançado após anos de trabalho duro do governo anterior, capitaneados pela ex-secretária Sônia Mograb. Fica a pergunta: Se o ensino "não é ruim", então porque tantas críticas durante a campanha? Porque acabar com o sistema de ciclos com progressão continuada? Porque trazer uma paulista para a pasta da Educação, que nem pedagoga é, que não conhece a fundo a realidade do sistema, nem a parte técnico-admnistrativa da Secretaria Municipal de Educação? Vale lembrar que em um post anterior mostramos que Paes confessou que Cesar Maia "deixou todas as escolas públicas um brinco", mas ele "não pode elogiar em público". Tudo bem prefeito. Se é pra ser sincero, a gente passa a mensagem.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Estudantes do país perdem representação: UNE age como braço do Governo Federal!

É inegável que o movimento estudantil no nosso país é dominado pela esquerda. E isso não é de hoje, é algo histórico. No entanto, a União Nacional dos Estudantes vem confundindo ideologia com alinhamento partidário. Nos últimos anos, a entidade vem abrandando seu discurso, passou a defender os interesses do Governo Lula em detrimento dos interesses reais dos estudantes brasileiros. Sua cúpula e seu novo presidente, Augusto Chagas, de 27 anos, são ligados ao PC do B, partido de base aliada do Governo Federal. Chagas foi eleito com 72% dos votos no 51º Congresso da UNE, realizado em Brasília entre os dias 15 e 19 deste mês. O evento teve patrocínio da Petrobras, que destinou R$ 100 mil para sua realização. Durante o Congresso, foi feita uma manifestação contra a CPI da...Petrobras! Segundo a então presidente da UNE, Lucia Stumpf, a manifestação foi "em desefa da Petrobras que queremos construir". Mas peraí, a Petrobras que queremos construir (pelo menos a que eu quero) não seria uma sem corrupção, sem desvio de verbas, sem politicagem, sem jogo de interesses, e que só dê orgulho para o Brasil? Então por que ser contra investigar irrugularidades?! Logo a UNE?

O presidente eleito não fez por menos. Ao assumir, Augusto Chagas declarou que "é mais do que legítimo que o Governo financie o movimento estudantil". Realmente, mas para isso o movimento tem que se fazer de cego e agir de acordo com o que o Governo quer? Se for assim, seria melhor realizar o Congresso no fundo do quintal, mas com um mínimo de integridade e moralidade. Quanto ao silêncio da entidade em relação à crise no Senado e as denúncias contra José Sarney, Chagas afirma que "a mera saída de Sarney não resolve nada" e que "os movimentos sociais não tem função de fazer oposição a governos". Francamente, essa é difícil de engolir. O presidente da União Nacional dos Estudantes, daquele movimento que lutou contra a ditadura de Vargas no Estado Novo; da UNE que foi um brado retumbante durante a Ditadura Militar (de onde surgiram vários líderes estudantis que até hoje estão aí, como políticos influentes), lutou à favor da liberdade, contra a tortura, pela anistia; da UNE que pediu democracia na campanha das Diretas Já; da UNE que teve papel crucial pelo impeachment levantando a bandeira do Fora Collor; é o presidente dessa UNE que hoje diz que "não tem função de fazer oposição a governos", se cala diante de uma crise na política, e torna a entidade chapa-branca, patrocinada e alinhada com o Governo vigente. É, no mínimo, vergonhoso e triste.

Quais foram as últimas grandes conquistas da UNE? Será que a educação nesse Governo é tão boa que a entidade que representa os estudantes não precise reivindicar nada? Será que eles não sabem que o Governo Lula já cortou mais de R$ 1,2 bilhão do orçamento da Educação? Também não percebem que o atual Governo prefere pagar as universidades privadas para ensinar os brasileiros através do PROUNI do que investir de verdade e melhorar a educação superior pública? Será que um homem de quase 30 anos realmente representa os estudantes?

Não, a UNE não representa os estudantes brasileiros e não luta pelos interesses deles. Não mais. A UNE perdeu a expressividade, a irreverência, a acidez dos discursos, a importância e a legitimidade. Mas com isso tudo, quem perdeu mesmo foram os estudantes do Brasil.


ps. A cereja do bolo no Congresso da UNE foi a participação do Presidente Lula. É o unico presidente a ter participado de um congresso da entidade. Nunca antes na história desse país a UNE e o Governo estiveram tão alinhados!

sábado, 18 de julho de 2009

Eduardo Paes é um exemplo de Desonestidade Intelectual!

O post de hoje é originário do excelente blog Perspectiva Política, do dia 14/07. Descreve muito bem como o atual prefeito do Rio omite verdades para manipulá-las a seu favor.

"Existe uma qualidade importantíssima para o ser humano, prezada em demasia por este blogueiro, que está em falta tanto na vida cotidiana de todos como, consequentemente, na vida política. Esta é a honestidade intelectual.

A honestidade intelectual se confunde com a sinceridade e a franqueza, mas não é exatamente nenhuma das duas. Para explicar o que é honestidade intelectual, recorramos à explanação do que é o seu oposto: A desonestidade intelectual.

O desonesto intelectualmente diz que é falso o que sabe verdadeiro, é cínico e nega o que todos os que os cercam sabem ser verdade. O desonesto intelectualmente privilegia seus interesses em detrimento de verdades que não têm nada de controverso. Ele nega o óbvio, sem vergonha de fazê-lo. Ele se recusa a confirmar o que é correto, pois isso atenta contra seus objetivos.

Resumindo, o desonesto intelectualmente mente ou, no mínimo, omite o que lhe convém quando há uma oportunidade, por mais que se espere dele que não o faça. É muito mais nocivo do que alguém que simplesmente omite um fato, pois, diversas vezes, trata-se de alguém de quem se aguarda a verdade

Pois bem. O Prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), teve sua desonestidade intelectual comprovada pelo jornalista Sidney Rezende, que divulga em postagem de seu site, o seguinte episódio:

“Eu disse ao prefeito do Rio, Eduardo Paes, que havia ficado impressionado com a limpeza e seriedade da gestão de duas escolas municipais que visitei: Lasar Segall, em Realengo, e Roquete Pinto, em Bangu. O prefeito recostou-se na cadeira e elogiou o antecessor:

- Você sabe que o Cesar Maia foi muito criticado pela aprovação automática, mas as escolas públicas são um brinco !

Depois, com humor, Eduardo Paes, arrematou: ‘Só não posso elogiar em público’”.

Lamentável. Vergonhoso. A população do Rio de Janeiro será, pelo equívoco de alguns nas urnas, obrigada a ser comandada por este senhor durante mais 3 anos e meio.

O que teria de mal em reconhecer em público os acertos do antecessor? Não seria muito mais honesto admitir os avanços empreendidos por Cesar Maia?

É esse tipo de prática que macula a política brasileira. Esse conceito de muitos políticos de que ninguém fez nada direito a não ser eles mesmos. Reconheçam-se os feitos do antecessor e prometam-se avanços, melhorias e correções do que está equivocado. Isso sim é honestidade intelectual.

Eduardo Paes só traz um benefício com a declaração que deu. Permite que seja compreendido por nós, perfeitamente, o que é desonestidade intelectual. Configura ótimo exemplo:

Só não posso elogiar em público”

Pronto. Vocês acabam de entender perfeitamente o que é desonestidade intelectual."

É assim que age Eduardo Paes!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Cidade da Música: O que foi dito, o que não foi dito, e a verdade!

O prefeito Eduardo Paes, em entrevista recente ao jornal O Globo, disse que pretende retomar as obras da Cidade da Música em agosto, e falou que a gestão do local deverá ser compartilhada entre a iniciativa privada e a Prefeitura. No entanto, Paes disse que não tem previsão de quanto será gasto para finalizar a obra, nem de quanto tempo levará para que isso aconteça, já que a auditoria ainda não foi concluída. Que engraçado! Há alguns meses atrás, foi anunciado que seriam necessários mais 145 milhões de reais e mais um ano de obras! Isso só com uma auditoria preliminar. Agora voltaram atrás?

Na execução de uma obra, quem pede aditivos para construção são as empreiteiras, que por gerir toda a obra sabem dos gastos e dos custos necessários, mas nesse caso era o próprio contratante que, sem consultar as empreiteiras envolvidas, dizia quando seria gasto a mais e em quanto tempo! Era própria a Prefeitura, sem saber das contas do Consórcio Construtor Cidade da Música, dizendo que precisaria investir 65 milhões de reais a mais do que já havia sido licitado para acabar a obra. Depois disso, imagina se alguma empreiteira iria reclamar ou dizer que não precisa! Eduardo Paes e sua equipe realmente não são bons de conta...

Pelo menos agora, nas declarações feitas à imprensa, Paes voltou atrás e diz que não pode afirmar esses números ainda, mas ainda assim disse algo estranho: Que só iria finalizar a Grande Sala e a parte de Administração do complexo, num primeiro momento. Não há razão para isso! A obra já está toda licitada e as empresas devidamente contratadas! A gestão anterior deixou uma conta com 85 milhões de reais, que já estavam empenhados em orçamento, para custear o fim das obras. A atual gestão de Eduardo Paes sumiu com esse dinheiro.

A Grande Sala já está praticamente pronta, já tendo sido inaugurada, inclusive. Este que vos escreve visitou as obras da Cidade da Música em Novembro do ano passado, e averiguou que as salas da Administração também já estavam em estágio avançado. Os jardins externos estavam sendo cultivados em ritmo acelerado, e no dia da minha visita os lagos estavam recebendo uma camada de impermeabilizante. Ficariam faltando a Sala de música de câmara, que não pude visitar, e os cinemas, que seriam entregues "crus" para a empresa que fosse explorar o espaço pudesse decorar e usar mobiliário e maquinário de sua preferência.

Hoje, aquela obra magnífica está lá, parada, com os materiais que já foram todos comprados estragando por falta de uso, manutenção ou instalação. Em 6 meses de obras paradas, o que seria suficiente para finalizar o complexo, já é possível começar a ver sinais de deterioração. Foram gastos 439 milhões, que apesar de tão criticados, estão sendo disperdiçados e negligenciados, já que não se faz uso nenhum daquele espaço. A Orquestra Sinfônica Brasileira continua sem uma casa e sem espaços dignos para ensaio e apresentação.

Foram encontrados até focos de mosquito da Dengue no local. E o atual prefeito fazendo de tudo pra conseguir movimentar mais dinheiro em cima dessa obra e conseguir vincular seu nome a esse projeto. Aposto com vocês que Eduardo Paes fará uma grande festa de (re)inauguração da Cidade da Música, com direito a fotos sorridentes e placa com os nomes dele e do Cabral. Quem viver, verá.


ps. Para aqueles que consideram o valor da construção da Cidade da Música, quase 500 milhões de reais, absurdamente elevado, gostaria de ressaltar que projetos similares e até inferiores ao redor do mundo custaram muito mais caro, e nem por isso deixaram de ser feitos, devido a grande necessidade e importância desse tipo de equipamento. E para efeito de comparação com outras obras de grande importância para a nossa cidade, vou citar alguns números:

Total que será gasto para reforma do Maracanã, incluindo PAN 2007 e Copa do Mundo de 2014: 730 milhões de reais! Esse valor é só o de reformas, sem nenhuma estrutura nova a ser construída. Quase 50% a mais que o total necessário para erguer a Cidade da Musica.

Total previsto para demolição de parte do Elevado da Perimetral, no Porto do Rio, propostro pela atual gestão da Prefeitura: 1,5 BILHÃO de reais! São 3 vezes o valor da Cidade da Música!

Aí ninguém reclama..